Foto: ACS/FJPNa última quarta-feira (28), representantes da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) se reuniram com técnicos da Fundação João Pinheiro (FJP), da Associação Mineira de Municípios (AMM)  e com coordenadores das Instituições de Ensinos (IES)  para fazer a avaliação final do Projeto Capacita Suas.

Durante o encontro, que aconteceu no auditório principal da FJP, no Campus Pampulha, foi apresentando o relatório final de avaliação do projeto, desenvolvido pela Fundação, que usou uma metodologia de monitoramento e avaliação focada na execução dos cursos, observando o percentual de certificados, evadidos e desistentes, além de aspectos pedagógicos e didáticos das aulas e o desempenho de alunos e professores.

Do ponto de vista da execução dos cursos, o Capacita obteve um número significativo de certificados, sendo que 7.189 pessoas concluíram as formações, entre trabalhadores, gestores e conselheiros de assistência Social. Foram ofertados cursos  de Gestão Financeira e Orçamentária do Suas, Atualização Sobre Especificidade e Interfaces da Proteção Social Básica do Suas, Atualização em Vigilância Socioassistencial do Suas, Introdução ao Controle Social do Suas e Atualização sobre a Organização e Oferta dos Serviços da Proteção Social Especial. Foram ofertadas mais de 9 mil vagas.

Já do ponto de vista pedagógico, a percepção tanto dos alunos, como dos professores e também dos supervisores de campo foi boa, como ressalta o professor e pesquisador da FJP, Marcos Assis. “Os alunos avaliaram, tanto os cursos como a sua aprendizagem de uma maneira muito positiva, assim como os professores também perceberam que o conteúdo foi efetivo, além disso, os supervisores de campo puderam notar a criação de redes entre os profissionais do Suas para trocas de experiências”.

Para o professor, a Secretaria foi ousada nesta ação de qualificação, uma vez que os cursos foram realizados de forma descentralizada, em 21 polos de capacitação espalhados pelo Estado. “A Sedese foi muito corajosa em propor um desenho regionalizado e descentralizado de capacitação, diante das dificuldades operacionais e pedagógicas que um desenho como esse coloca, e esse ato corajoso deu muito certo porque contou com parceiros competentes, além de uma metodologia de trabalho muito participativa, ou seja, ela assumiu riscos e conseguiu driblá-los de maneira vitoriosa”, afirma.

As Instituições de ensino, parceiras na execução do projeto, também puderam apresentar as suas experiências durante esse período. Para a Coordenadora Pedagógica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas, Clélia Mara Tardelli, execução do Capacita foi positiva, principalmente, pela formação dos trabalhadores da assistência social, pelo reconhecimento e até a gratidão deles em poder se qualificar. “O formato do curso fez com que os trabalhadores pudessem ter maiores condições para a participação”, disse ela.

De acordo com a Letícia Veiga Vasques, coordenadora Pedagógica do Grupo Unis, durante os três anos, com os cursos ofertados aconteceram muitas vitórias e também muitas coisas foram sendo aperfeiçoadas, tanto na equipe, como o nível de conhecimento dos capacitandos, que melhorou com o passar do tempo. “O resultado final, os dados não nos deixam mentir de que foi uma execução de sucesso”, ressalta.

Elogiada por sua postura proativa, presente e constante, a Sedese, em todo o processo de qualificação, foi outro aspecto positivo destacado pelos órgãos parceiros, durante a reunião. “A atuação da Secretaria foi ímpar. A todo  momento, desde o início, nós tivemos o acompanhamento técnico da Secretaria e conseguimos aprimorar a nossa prestação de serviço”, afirma Clélia Mara Tardelli.

Segundo o Marcos Assis, a parceria com a Sedese foi bem sucedida  não só do ponto de vista formal, com  conclusão dos requisitos contratuais, mas sobretudo do ponto de vista do aprendizado institucional. “Todo o desenvolvimento do trabalho que foi de responsabilidade da Fundação João Pinheiro foi feito em conjunto com a Secretaria, em um diálogo e troca de experiência grandes com as equipes da Secretaria”.

Para o chefe de gabinete da Sedese, Ronaldo Camargos, foi um acerto dessa gestão investir na qualificação. “Foi uma decisão acertada da Secretaria fazer um programa de capacitação da forma que foi feito, ou seja descentralizado, pois isso facilitou o acesso dos trabalhadores e conselheiros”, afirma.

Além disso, segundo ele, o Capacita Suas contribuiu para a consolidação da política de assistência social em Minas Gerais, bem como na gestão dos serviços que são executados na ponta pelas secretarias municipais de assistência social.

“Foi um grande programa e somente com as capacitações é que nós vamos avançar de fato nesta política”, comenta o chefe de gabinete, que ainda a completa: “O Capacita foi um dos grandes programas que a Secretaria desenvolveu nesta gestão, pois ele foi o programa da política de assistência social e, para nós, foi fundamental a realização dele”.